Congresso ANDAV 2019 | ANDAV Talks debate o Futuro da Distribuição

Na edição deste ano do Congresso ANDAV – Fórum & Exposição, que está sendo realizado em São Paulo, foi organizado o ANDAV Talks, um evento interativo sobre o tema Modelo Inovador de Negócios: O Futuro da Distribuição, que envolveu seis palestrantes. Na abertura, Carlos Eduardo Dalto, professor da FGV, comentou sobre uma pesquisa feita para detectar os anseios e necessidades dos produtores rurais. “Os agricultores valorizam parceria, confiança, assistência técnica, cumprimento de prazos e pontualidade na entrega”, observou Dalto, cujo tema tratado foi Inovação na Gestão de Clientes.

Segundo o palestrante, hoje o segmento de distribuição de insumos agropecuários está marcado pela expansão das cooperativas, pools de compra, crescimento das vendas diretas e concentração em 10 grandes grupos. A seu ver, o setor agropecuário vive atualmente uma nova dinâmica, em que a aplicação de novas tecnologias como drones, veículos altamente motorizados e conectividade são apenas a ponta do iceberg da renovação. “A tomada de decisão atualmente, também no campo, leva em consideração valores intangíveis e não apenas o produto, como no passado”, concluiu.

Na sequência, Tania Moura, vice-presidente executiva da Associação Brasileira de Profissionais de RH (ABPRH) tratou do tema Inovando na Gestão de Pessoas. Destacou que as mudanças não acontecem só nos negócios, mas no dia a dia das empresas, alertando que o setor está mudando de perfil, entrando na terceira geração, passando a ter gestores mais jovens, ou mesmo entrando em processos de fusões. Enfatizou também a transformação inclusiva que vem ocorrendo nos mercados. “A diversidade é um componente capaz de efetivamente elevar a rentabilidade das empresas”, destaca. “Esta nova geração possui novos valores. Eles buscam significado, autonomia, crescimento, impacto e conexão”, finaliza.

Já Mariely Biff, consultora em gestão empresarial, abordou o desafio da sucessão nas empresas do agronegócio, caracterizadas em grande parte como empresas familiares. “A maior parte das empresas está mais preocupada com o ambiente de negócios e com a questão da inovação, deixando em último plano a sucessão, o que pode representar um risco para seu futuro”, ponderou. Para Mariely, é comum a algumas empresas insistir em lideranças familiares que não se mostram adequadas, quando poderiam optar por um modelo de gestão profissionalizada. A seu ver, diante da grande renovação que está ocorrendo no agro, ganha importância ainda maior preparar a sucessão com planejamento.

No Painel 2 do ANDAV Talks, o advogado Karis Novickis, professor do programa de implementação de compliance do Insper, tratou do tema Inovando em Governança & Compliance, com foco em medidas administrativas que o distribuidor de insumos agrícolas e veterinários pode adotar para afastar riscos jurídicos, fiscais e trabalhistas.

Segundo o palestrante, o caminho para uma empresa construir uma boa gestão de compliance passa por uma estratégia e análise de riscos, por estabelecer padrões éticos de trabalho, realizar treinamentos e fazer uma comunicação adequada, monitorar as ações e incentivar as condutas adequadas, além de exercitar a melhoria contínua. “Sempre digo que os valores de uma empresa não podem ser aqueles que estão apenas escritos na parede ou no material de divulgação. Os valores passam por rituais cotidianos, construção de heróis e de modelos de comportamentos que resultam em símbolos. A pergunta que o gestor precisa fazer é qual o símbolo dos valores que a empresa está construindo”, comentou Novickis.

No mesmo painel, Mayra Theis, especialista em agrobusiness da PwC, tratou do tema Inovando para Consolidação, Fusões e Aquisições. “Num momento de fusão ou de aquisição, o distribuidor precisa levar em consideração alguns aspectos. Além das questões ligadas a passivos fiscais, trabalhistas ou tributários, hoje em dia também afetam as negociações, o fato de os grandes grupos internacionais, que podem ser potenciais interessados, adotarem práticas contábeis globais, que hoje são muito diferentes das do passado”, observou a palestrante.

Por fim, Manoel Perez Neto, da Zurique Consultores Associados falou sobre o tema Inovando para Acesso ao Crédito, chamando a atenção para o crescimento das recuperações judiciais que vem ocorrendo no agronegócio de forma geral. “Enquanto em todo o ano passado, o setor agropecuário registrou 68 operações de recuperação judicial, apenas nos cinco primeiros meses deste ano, já foram realizadas 43”, afirmou Perez Neto. Para o consultor, o setor de distribuição precisa começar a analisar melhor outras fontes de financiamento, com ênfase em novas modalidades ligadas ao mercado de capitais, como os Certificados de Recebíveis do Agronegócio (CRAs).