Apex-Brasil e Embrapa firmam acordo

O acordo visa aumentar a competitividade do agronegócio brasileiro e sua capacidade de inserção nas cadeias globais de valor

A ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) participou nesta terça-feira (21) da cerimônia de assinatura de um acordo geral de cooperação entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Também foi assinado um acordo de cooperação técnica para atração de investimentos, com definição de um plano de trabalho para direcionar as primeiras atividades da parceria.

Na avaliação da ministra, a oficialização dessa parceria trará resultados mais efetivos e agilidade maior para a Embrapa – por meio da Apex – que tem expertise de promoção comercial. Além disso, será importante também para o fortalecimento do trabalho da imagem do Brasil no exterior, principalmente da agropecuária. “Esse ato tem uma grande importância para o Mapa. Com certeza, com grandes resultados no futuro próximo. É uma parceria do ganha-ganha que estamos hoje formalizando e encaminhando para um sucesso mais rápido”, disse a ministra ao destacar que considera a Embrapa a “joia” do agronegócio brasileiro.

A partir de esforços conjuntos entre as duas instituições, o acordo visa aumentar a competitividade do agronegócio brasileiro e sua capacidade de inserção nas cadeias globais de valor, por meio da sinergia entre as agendas de pesquisa agropecuária, promoção internacional da agropecuária brasileira e captação de investimentos estrangeiros.

Parceria

De acordo com o presidente da Embrapa, Celso Moretti, há 10 anos a empresa buscava a formalização dessa parceria. “Isso vai permitir que a Embrapa, juntamente com a Apex, acesse mercados, investidores, possibilitando a captação de recursos e traga investimentos maiores e mais robustos para o Brasil. Avalio que temos enormes possibilidades de trabalharmos em conjunto”, afirmou.

A Embrapa conta hoje com 43 centros de pesquisa, 8,4 mil colaboradores e 2,4 mil pesquisadores que trabalham nas mais diferentes cadeias produtivas. E para isso, ressaltou Moretti, é importante não só ter recursos do Tesouro Nacional, do setor privado brasileiro, mas também buscar recursos externos. “Essa parceria com a Apex vai nos dar musculatura e maior capacidade para buscar esses recursos” disse ao destacar a importância da possibilidade de compartilhamento de infraestrutura da Apex no exterior, contribuindo no trabalho para o desenvolvimento competitivo e sustentável do agronegócio brasileiro.

O presidente da Apex-Brasil, Fernando Segovia, ressaltou que esse acordo abrirá novas frentes de trabalho para a agência em iniciativas associadas à inovação via startups e à atração de investimentos direcionados para pesquisa e desenvolvimento do setor agropecuário. “Vamos unir nossas especialidades para promover o que o país tem de melhor, compreendendo o agronegócio como a grande força motriz do Brasil. Ele acrescentou que, adicionalmente, ainda será possível trabalhar na geração de conteúdo, de modo a ampliar a produção e divulgação de materiais de inteligência de mercado e de promoção do País como um ator fundamental para o agronegócio global.

A Apex-Brasil apoia em torno de 14 mil empresas, responsáveis por 30,2% das exportações brasileiras. A agência realiza 53 projetos de promoção das exportações em parceria com entidades representativas do setor privado e, desses, 16 são relacionados ao agronegócio. No ano passado, foram apoiadas 1.161 empresas do setor, que exportaram US$ 22,7 bilhões.

Desafios

O objetivo é explorar os desafios para a inovação, que constituem as principais demandas por tecnologia e as oportunidades mais importantes de empreendimento no agronegócio nacional. A identificação desses desafios pela equipe técnica da Embrapa deverá facilitar as ações lideradas pela Apex-Brasil com investidores estratégicos dos principais mercados do mundo, para os quais serão direcionados os projetos mais atrativos do setor. De acordo com a agência, o acordo reforçará, também, o posicionamento da Apex-Brasil como one-stop-shop de investidores estrangeiros interessados no país.

Será elaborado também um plano de trabalho que vai definir as linhas de ação que possibilitarão a atração de investimentos externos para o fomento e o fortalecimento da pesquisa, do desenvolvimento e da inovação na agropecuária brasileira.

A Apex-Brasil deverá auxiliar nas iniciativas da Embrapa de promoção, networking e internacionalização que compõem seus principais negócios, além de apoiar as ações externas da empresa com a rede estruturada de escritórios da Apex-Brasil no exterior.

Conhecimento

A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), criada em 1973 e vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), atua na geração de conhecimento e de tecnologias para a produção de alimentos, de fibras e de fontes de energia. Sua missão é viabilizar soluções de pesquisa, de desenvolvimento e de inovação, para garantir a sustentabilidade da agricultura nacional, em benefício da sociedade brasileira.

Veja outras notícias relacionadas

unnamed
12/06/2024
Pacheco devolve ao governo parte da MP que altera regras do PIS/Cofins
banner_
06/06/2024
Nota Andav: Medida Provisória 1.227/2024
Capa Informativo Site (2)
24/05/2024
Andav promove terceira edição de web série sobre gestão de riscos

Veja outras notícias relacionadas

Foto_Premio_Pesquisa
18/06/2024
Prêmio Mulheres do Agro abre fase de indicação popular para categoria que reconhece pesquisadoras e cientistas
unnamed
12/06/2024
Pacheco devolve ao governo parte da MP que altera regras do PIS/Cofins
banner_
06/06/2024
Nota Andav: Medida Provisória 1.227/2024
Capa Informativo Site (2)
24/05/2024
Andav promove terceira edição de web série sobre gestão de riscos
OGF-news-2024-maior
16/05/2024
Lançamento do Outlook GlobalFert 2024: Principais Tendências e Perspectivas para o Mercado de Fertilizantes
banner site 1
14/05/2024
7ª edição do Prêmio Mulheres do Agro